Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Excuse me for a while...

Excuse me for a while...

13
Dez15

Folhas Soltas #15

Daniela C.

TK-KOS-LadoAlexi_2014_2.jpg

Bill entrou em casa pouco passavam das sete da tarde. Estivera a trabalhar o dia todo e sentia-se exausto fisicamente por ter estado em pé maior parte do dia, entre tecidos e costureiras que o ajudavam a preparar a coleção por que tanto ambicionava. Pousou a sua mala num dos sofás da sala e olhou o seu irmão gémeo que permanecia sentado no sofá oposto.

- O que é que se passa? - O mais novo quebrou o silêncio querendo saber o motivo pela qual se encontrava com uma expressão tão vaga e triste. Mesmo sabendo a possível resposta do moreno, tencionava que não fosse verdade outra vez.

- Está no hospital de novo… - Encolheu os ombros passando uma mão pelos cabelos soltos e olhou o irmão. Bill suspirou e sentou-se ao lado da sua metade, batendo-lhe levemente no ombro como se lhe desse força.

- O que tencionas fazer? - Questionou procurando algum tipo de solução para aquilo que já se arrastava há mais de semana e meia.

- Não sei, Bill. Ela sempre que vai para a empresa sai de lá ou com ataques de pânico, ou com ataques de ansiedade que quase se descabela toda. - Exaltou-se. - Eu juro que mato aquele homem da próxima vez que o vir. Ela acaba sempre assim cada vez que ele vai tentar falar com ela, não a deixa em paz, não percebe que o que lhe causa tudo aquilo é ele. - Esbracejou tentando libertar a raiva que tinha dentro dele. Danielle em quase duas semanas foi parar ao hospital uma meia dúzia de vezes. Os motivos eram ataques de pânico, ataques de ansiedade ou desmaios causados pelo nervosismo.

- A Moon disse-me que se mudou lá para casa dela para ver se a conseguia animar de alguma forma mas ela só fala de ti… - Comentou.

- Eu sei, ela liga-me a pedir que eu a vá buscar…

- Tom, vai… - Incentivou de imediato.

- Eu não posso, porra! - Vociferou olhando o irmão bastante sério que se calou face ao seu grito que metia respeito a qualquer um. - Entende uma coisa, se o Yaro sabe que ela anda por aqui eu juro que o mato também. Bill é um risco enorme que eu corro em trazê-la para cá por diversos motivos. Não é que eu não queira, porque quero! Mas não é seguro… - Explicou tentando acalmar-se também.

- Tom percebe que ela aqui não corre tantos riscos como lá. Já é a sexta vez que, em duas semanas, ela vai parar ao hospital. Queres o quê? Que desapareça e depois nunca mais a vês? Prometeste que a protegias, se pensares bem não foi um estúpido pedido de Defende-me do Yaro mas simplesmente Defende-me! - Argumentou levando o moreno a baixar o olhar. Sabia que era verdade o que o seu irmão lhe dizia mas por um lado tinha medo de não conseguir proteger Danielle com o seu maior inimigo na mesma cidade. - Pensa bem nisso. - Aconselhou num tom calmo e poucos segundos bastaram para o telemóvel de Tom tocar sobre o seu colo.

- Sim? - Atendeu de seguida assim que viu a foto da morena no fundo do seu ecrã.

- Onde estás? - Questionou de forma arrastada. Parecia dopada e de facto estava com tanta medicação que os médicos lhe deram numa tentativa de a acalmarem.

- Estou em minha casa… - Murmurou.

- Porquê Tom? - Advertiu entrando em pranto só de pensar que Tom se encontrava tão distante dela quanto aquilo que ela desejava. - Porque é que não me vens buscar? - Retorquiu de novo soltando pequenos soluços.

- Princesa, eu… - Suspirou. - Eu não sei…

- Tu prometeste-me, lembraste? Por favor não consigo estar sem ti, fazes-me tanta falta… - Disse num tom meio enrolado mas Tom percebia-a na perfeição e isso era o que mais importava. - Estou cheia de saudades tuas… - Fez uma pequena pausa ouvindo-se apenas curtos fungares. - A Moon também está com falta de Bill… - Proferiu num tom mimado que levou a loira a guinchar e o mais velho a rir-se no meio de tudo aquilo. Efeitos colaterais da medicação!

- O meu irmão vai gostar de saber disso. - Comentou com um leve sorriso. - Como é que te sentes? - Procurou saber mas sentiu que aquela pergunta ainda serviu para deixar Danielle mais em baixo e de imediato percebeu porquê. - Ouve, é só a medicação ninguém te vai fazer mal. A Moon não está ao teu lado? - Tentou tranquilizar.

- Está… - Respondeu sumidamente entre o seu prato e tentando ao máximo não associar aquela sensação que estava a sentir com a que sentiu quando Yaro a drogou.

- Vou pedir transferência para o hospital de cá para que venhas mais rápido e de forma segura. Sabes que se for aí as coisas não correm muito bem, prefiro que sejas transferida, pode ser? - Questionou de forma calma.

- Sim, só quero sair daqui. Tenho saudades tuas… - Fungou.

- E eu tuas princesa. - Suspirou. Era bastante difícil para Tom estar longe de Danielle e o mesmo se aplicava à rapariga. Tinham-se apegado em apenas uma semana de uma forma bastante surreal, simplesmente acontecera. Tinham bastante em comum e cada descoberta de gostos e ambições que coincidiam, era mais um passo dado para a aproximação de ambos, já para não falar da atração física que tinham. Porque o maior cego, é aquele que não quer ver. - Vou tratar das coisas já te volto a ligar, sim?

- Sim, até já. - Despediu-se num tom mimado antes de desligar a chamada.

 

6 comentários

Comentar post

A Blogger

O meu nome é Daniela, tenho 22 anos e sou de Almada. Trabalho actualmente no STARBUCKS mas sonho ser Comissária de Bordo. Adoro escrever, ver Vlogs e não sou mesmo nada adepta de séries. Aqui vão poder encontrar parte dos meus devaneios e sonhos, quem sabe um dia isto se virá a tornar no meu Diário de Bordo.

Redes Sociais

Mensagens